Tive de/tinha de/não tive de/não tinha de

Hi,

Can someone help clear up this question regarding tive de vs tinha de.
Does “tive de” mean that someone had to do something and they ended up doing the action.
For example: I tive de fazer isso. I had to do that and I did do it.

For “tinha de” imply that someone had to do something but didn’t end up doing the action.
For example: Eu tinha de fazer os mes trabalhos de casa. I had to do the homework but I didn’t do it for some reason. Is it implied without any other context? Or would i have to add more info.
For example: Eu tinha de fazer os meus trabalhos de casa mas eu fiquei doente e não consegui.
I’ve read other explanations for “tinha de” can also imply that it may or may not have been done. Which seems to add more confusion if there isn’t any additional context to the sentence.

And for “não tive de” is equivalent to not having to do that and they ended up not doing it. Eu não tive de fazer os meus trabalhos de casa. I didn’t have to the homework so I didn’t do it.

Finally for “não tinha de” does it always signify an action was completed although it was not required? I was watching some show and a woman was trying to kiss a man and he pushed her away but ended up hurting her, she was being aggressive and he didn’t mean to hurt her. And another character was talking about the situation and said: Mas ele empurrou-a e ele não tinha de fazer isso. This would be the same as in English equivalent to saying: But he didn’t have to push her (but he did do it)

I was wondering if there is any other ways to interpret this, if you anyone has more examples that would be helpful. The units exercises in the Studio focus on the I had (tive) and I use to have (tinha) and not the ter de /ter que situation.

Thank you

1 Like

Olá, @tienhung1985! I added some comments directly along your text. Like I said above, the simple past is pretty clear cut, but the imperfect tense is like a blank canvas if it doesn’t any more context. Some more examples below:

  • Eu tinha de ter 10 para passar no exame. Sabes que nota eu tive? 14! (I had to get a 10 to pass the exam. Do you know what grade I got? 14!) -> had to and did it
  • Ele tinha de dormir cedo, mas foi para a cama à meia-noite. (He had to sleep early, but he only went to bed at midnight) -> had to, but didn’t do it
  • O teu colega tinha de trabalhar muito, mas tu não tinhas de fazer quase nada. (Your colleague had to work a lot, but you didn’t have to do almost anything) -> didn’t have to and didn’t do it
  • Ela foi lá? Mas ela não tinha de ir! (She went there? But she didn’t have to go!) -> didn’t have to, but did it
2 Likes

Hi Joseph,

First of all thank you for such a detailed response, I really appreciate it. Also, I noticed I didn’t properly proof read my first post so I do apologize for that, maybe I should go to practiceenglish.com. Seja como for, podia ajudar-me uma outra vez para esclarecer este assunto. Em teoria, eu percebo o que Joseph disse mas quando é altura de falar ou de escrever com o imperfeito eu não consigo.

Se for possível, podíamos comparar e trocar o perfeito com o imperfeito?

Eu tinha de ter 10 para passar no exame. Sabes que nota eu tive?
Eu tive de ter 10 para passar no exame. => Esta frase significa, ele tirou exatamente a nota de 10 e passou o exame? ou ???
E a segunda frase já não faz sentido por cause da primeira.

  • Ele tinha de dormir cedo, mas foi para a cama à meia-noite.
    Ele teve de dormir cedo. Este frase significa que ele dormiu cedo por causa da “obligação dele”. Segunda parte já não faz sentido com o troco de tinha por teve.

  • O teu colega tinha de trabalhar muito, mas tu não tinhas de fazer quase nada. (Your colleague had to work a lot, but you didn’t have to do almost anything) -> didn’t have to and didn’t do it.
    Esta frase, perdi-me, parece-me que sem outro contexto, nós não podemos saber se alguém fez o trabalho? A frase tem só o imperfeito, por isso nós não temos o pormenores/detalhes/contexto suficientes para deduzir tudo. The colleague had to work a lot (we don’t know if he did) and the guy didn’t have to do anything (we don’t know if he did or not because it’s imperfect)?

A sua explicação : (Your colleague had to work a lot, but you didn’t have to do almost anything) -> didn’t have to and didn’t do it) Isso não fazia mais sentido se fosse o perfeito??
O teu colega teve de trabalhar muito, mas tu não tiveste de fazer quase nada. (colleague had to work, and did it, and you didn’t have to do anything and didnt).

  • Ela foi lá? Mas ela não teve de ir! Doesn’t make sense because second part implies she didn’t have to go and didn’t.

Obrigado por tudo mais uma vez

Tal como tu, respondi em português, desta vez :slight_smile:

1 Like

Obrigado pela sua resposta.

Eu fico feliz porque esta foi a primeira vez que eu escrevi um texto em português mais longo do que uma frase. En tinha medo que a mensagem não fosse bem interpretada porque o assunto é um bocandinho complexo (para mim lol). Mas acho que o Joseph percebeu o que eu disse, Isto significa que PP.com funciona muito bem!!! Por isso vou continuar a escrever em português!

Acho que este é o meu problem com o imperfeito and perfeito, porque às vezes os dois tempos podem ser usados para expressar uma ideia muito similares e estou sempre a perguntar-me por que é que um foi usado em vez do outro. Ainda por cima, o imperfeito também às vezes é usado em vez do condicional. Isso não é pera doce “em tempo real” (real time)
E como o Joseph já me disse que preciso de pensar em açção de continuidade etc… mas às vezes, eu não reparava nem de um fator de continuidade nem de fator habitual. Por exemplo: não era o que eu queria dizer. Neste contexto, a pessoa começou uma conversa e houve um mal entendido e o outro respondeu eu queria dizer mas eu não reparei um fator de continuidade. Parece-me como uma situação “one and done-perfeito” , e o perfeito seria melhor.

E finalment, uma última pergunta e eu vou calar-me. Em relação de Foi e Era. Eu sei que foi=was vs era =used to be (isto é fácil de pecerber). Eu estava a ver televisão quando uma personagem disse nâo era suposto descobrires assim. Parece-me uma situação “one and done”. Eu não vejo a diferença entre uma frase como Foi uma boa noite e a frase anterior. (It was good… the event is over… vs you weren’t suppose to find out like that, event is over… What would be the point of using the imperfeito here?? the one time action seems completed)
( I feel like I’m asking you the same question over and over, so if the answer is just because they decided to put themselves in that moment before the action finished and that’s why they used era then I do apologize for repeating the same question.)
Thanks again!f

@tienhung1985, podes tratar-me por tu :grinning:
Em ambos os exemplos que apresentaste acima, eu diria que o pretérito imperfeito aproxima-nos do momento em que a ação estava a acontecer, tal como sugeriste no fim, enquanto o pretérito perfeito já apresenta a ação como algo concluído num tempo anterior para o qual olhamos com mais distanciamento. Seria essa a pequena diferença, por exemplo, entre “Não era o que eu queria dizer” e “Não foi o que eu quis dizer”, ainda que a mensagem seja no fundo a mesma.

Thanks Joseph,

LoL do people usually just use tu while online? You’re like our teacher on the forum so you get the most respect/formal treatment hah.

Haha, yes, people tend to write casually on the Internet and I really don’t mind it myself :slight_smile: But thank you!